Os Profetas de Israel – Grupos de Profetas

profetas_nov06

Durante muitos séculos, biblistas, pesquisadores e estudiosos têm tentado estabelecer cronologias, divisões e esquemas a respeito dos profetas de Israel.

O grupo mais usual é aquele que os divide em profetas maiores e menores. Essa diferença ocorre não pela importância do profeta, mas pelo tamanho do seu escrito. No século II a. E.C., já era conhecida essa distinção.

Livro de Baruc – é colocado entre os livros proféticos da Bíblia Grega (LXX). Não é propriamente o livro de um profeta. Baruc era secretário e amigo do profeta Jeremias, que lhe teria ditado as palavras proféticas.

O livro de Daniel – na Bíblia Hebraica, ele não faz parte dos livros proféticos, mas do bloco dos Escritos. Daniel é reconhecido no Segundo Testamento (cf. Mateus 24,15) como profeta; mas nos estudos mais recentes, é considerado apocalíptico. O autor desse livro, assim como o de Jonas, fez uso do nome conhecido para difundir o seu pensamento. Assim o livro de Daniel se enquadra melhor no gênero sapiencial e apocalíptico. As Bíblias Gregas (LXX) e Latinas (Vulgata) reconhecem o livro de Daniel como de Profeta Maior.

As mulheres profetisas

A única mulher que poderia ser considerada profetisa na Bíblia é Hulda (cf. 2Rs 22,14), que viveu na época da reforma deuteronomista do rei Josias. Outras mulheres receberam apenas o título de profetisa, com Miriam irmã de Moisés e Aarão (cf. Ex 15,20), Débora (cf. Jz 4,4) e a esposa de Isaías (cf. Is 8,3).

Profetismo desde Abraão

O profetismo começa em Israel somente no período da Monarquia, com Davi.  Gad e Natã são os primeiros profetas. No entanto, Abraão é chamado de profeta em Gn 20,7.

Moisés também é considerado profeta. O último livro do Pentateuco, o Deuteronômio, afirma que, depois de sua morte, “em Israel nunca mais surgiu um profeta como Moisés” (Dt 34,10). Segundo o livro de Oséias, Moisés é o profeta por meio do qual o Senhor tirou Israel do Egito e o guardou. (cf. Os 12,14).

O terceiro homem das origens da história de Israel, Samuel, é chamado de profeta. Profeta vidente (cf. 1Cr 29,29), sua ação o caracteriza como grande profeta bíblico. Samuel é ainda conhecido como Juiz no final do período tribal.

A conclusão da pesquisa atual sobre as origens do profetismo é que a atribuição do título de profetisa a Miriam e Débora e de profeta a Abraão, Moisés e Samuel foi um acréscimo posterior das correntes teológicas, quando da redação da Bíblia, o que significa que isso ocorreu muito tempo depois da atuação deles.

Os profetas maiores

São considerados, por alguns autores, inclusive nas Bíblias modernas, “profetas maiores”: Isaias; Jeremias; Ezequiel; Daniel. Há autores, especialmente judeus e protestantes, que, pela não-canonicidade de alguns textos de Daniel, excluem-no dessa nominata. 

Profetas Menores

Oséias; Amós; Joel; Abdias; Jonas; Miquéias; Naum; Habacuc; Sofonias; Ageu; Zacarias. Malaquias.

Profetas Clássicos

Igualmente a classificação dos chamados “clássicos” não é pacífica. “Há quem relacione, sob esse título, todos os profetas do chamado período do pré-exílio”. Neste caso, os clássicos seriam sete: Amós; Isaías; Miquéias; Oséias; Sofonias; Naum; Habacuc. A maioria dos estudiosos da Bíblia e autores de teologia bíblica, no entanto, não concorda com essa divisão, preferindo enunciar, sob o título de clássicos, apenas quatro (que seriam os “maiores”). Esse novo rol profético acrescenta Amós e Miquéias e exclui Ezequiel e Daniel. O critério dessa escolha é eminentemente de qualidade, literária e profética: Amós; Isaías; Miquéias; Jeremias. Particularmente, considerando a qualidade da produção profética desses autores, e por representarem épocas especialistas concordam com esta divisão.

Profetas do tempo do Exílio

Período que compreende a fase do “pré-exílio” – tempo em que os judeus estiveram exilados na Babilônia e, posteriormente, a volta de lá, com as tentativas de reconstrução do que foi destruído.

Pré-exílio

Os profetas desse período são especialistas em anúncios do poder de Deus, dos castigos que estão por vir, e denunciadores da idolatria, da ganância e dos desvios do povo e dos governantes:

Século VIII: Amós; Proto-Isaías (Is 1-39); Miquéias; Oséias

Século VII – VI: Naum; Habacuc; Jeremias; Sofonias

Do tempo das deportações: São profetas que atuaram enquanto Israel sofreu com o exílio da Babilônia. Os textos são de reflexão, consoladores e animadores do povo, tanto dos que estavam no exílio como os que haviam permanecido na Palestina: Ezequiel; Daniel; Dêutero Isaías (Is 40 – 55); Abdias.

Da volta do Exílio

Profetas restauradores e animadores de uma época difícil, o retorno do exílio, quando há muita coisa para reconstruir: Ageu, Zacarias, Trito Isaías (Is 56-66), Joel, Jonas, Malaquias.

Profetas primitivos

Trata-se daqueles nebiim das cortes, estáticos, que profetizavam em delírio, meio folclóricos. Mesmo assim, no meio destes, e fora daquelas características pejorativas, é impossível deixar de falar em Samuel, Elias e Eliseu, precursores e profetas autênticos.

Profetas quanto à escrita

No que tange à produção literário-profética, podemos dividir os profetas em aqueles que escreveram livros (os escritores) e os que nada deixaram escrito (os não-escritores).

Escritores

Por “profetas escritores” entende-se os quatro maiores, os doze menores mais Baruc, que não é incluído em nenhuma daquelas divisões.

Não-escritores: são chamados de não-escritores os profetas que não têm produção literária. Fizeram profecia, mas não escreveram seus oráculos, denúncias e discursos. Os não-escritores mais conhecidos são: Samuel, Elias, Eliseu, Natã.

Há ainda, embora discutida, uma relação complementar, com três no Antigo Testamento e dois na era cristã.

Do Antigo Testamento: Neemias, Esdras, Ana, mãe de Samuel.

Do Novo Testamento: João Batista, Simeão.   

Fonte Bibliográfica:

FARIA Jacir Freitas – Profetas e profetisas na Bíblia – História e teologia profética na denúncia, solução, esperança, perdão e nova aliança – Teologias bíblicas 5 – Paulinas

GALVÃO Antônio Mesquita – Os Profetas de Israel Estudo, História e Espiritualidade

Bíblia de Jerusalém – Paulus

________________________________________________

Curso Biblíco – Realizado na Paróquia Santa Cruz
Terça Feira às 20:00
Silvana e Rachel – cursobiblico@parsantacruz.org.br

Divulgue:

Os comentários estão fechados.